Idosos são incentivados a permanecerem em forma, isolados, com recomendações de exercícios indoor

O título dessa reportagem mostra a preocupação com os idosos, vulneráveis e aqueles com condições de saúde subjacentes que têm maior probabilidade de morrer se contraírem o vírus. Eles também correm maior risco de perda de força e massa muscular devido à inatividade física (sarcopenia). O isolamento domiciliar traz outro agravante, a ausência de exposição solar, o que reduz a produção de vitamina D. A vitamina D insuficiente pode desequilibrar a microbiota intestinal e interferir na imunomodulação, principalmente de idosos, nos quais tanto a absorção intestinal, quanto a interconversão epidérmica da vitamina D ativa estão diminuídos.